Pular para o conteúdo principal

Postagens

Cinema e literatura - Os milagres do armazém Namiya

Postagens recentes

Cinema e literatura - Se os gatos desaparecessem do mundo - Cinema e Literatura

Resenha Sekai Kara Neko ga Kieta Nara - 世界から猫が消えたなら Se os gatos desaparecessem do mundo Direção: Akira Nagai (2016) Por Janete Oliveira (UERJ)
“Se os gatos desaparecessem do mundo
Como este mundo mudaria?
Se seu desaparecer do mundo...
Quem afinal ficaria triste por mim?”
(Fala inicial do filme de Akira Nagai)

Se os gatos desaparecessem do mundo
De que forma este mundo mudaria e como mudaria a minha vida?
Se eu desaparecesse do mundo.
Este mundo, sem nenhuma mudança, caminharia para um amanhã como sempre?
(KAWAMURA, 2014)


Sekai kara neko ga kieta nara/Se os gatos desaparecessemdo mundo é um filme de 2016 baseado no livro homônimo de Genki Kawamura, um escritor de ehon (livros ilustrados infantis), romancista, produtor, diretor e roteirista de cinema e muito conhecido por ter produzido os animes Kimi no na wa (e está produzindo o live-action do mesmo) e Tenki no Ko de Makoto Shinkai, Bakemono no Ko de Mamoru Hosoda e os filmes Kuru e Kokuhaku do aclamado diretor de suspense/terror Tetsu…

Animação contemporânea - Tenki no Ko, o novo filme de Makoto Shinkai

Resenha
天気の子/Tenki no Ko/O Tempo com Você/Weathering with You - 2019 Direção: Makoto Shinkai
Luiz Fernando Velloso (UERJ)
Tenki no Ko (Weathering with You) é o novíssimo filme do diretor Makoto Shinkai, considerado o principal diretor japonês na atualidade, quando se trata do quesito de longa-metragem de animação. Após o colossal sucesso do seu filme anterior de 2016, Kimi no na wa (Your Name), Shinkai concentrou as atenções do mundo para o seu novo filme. Lançado no verão do hemisfério norte, primeiramente no Japão e posteriormente pela Ásia, o longa tem previsão de lançamento no ocidente já no início de 2020. Apesar de Shinkai tornar-se conhecido mundialmente a partir de Kimi no na wa, Tenki no Ko é o seu sétimo filme deixando clara a experiência como diretor.
O filme deste ano de 2019 não decepciona no quesito visual, a preocupação estética é uma característica sempre muito presente nas obras de Shinkai, o visual harmonioso, principalmente da chuva, não chega a ser uma surpresa no fi…

Cinema e literatura - No fundo, invisível: o limite do amor

Resenha
花芯/Kashin/O centro da flor (2016)


Por Sthefany Rosa Ferreira dos Santos/UERJ


Dirigido por Hiroshi Andō, Kashin/花芯 (2016) é um filme baseado no romance homônimo da monja budista e ativista Setōchi Jakuchō. A escritora ganhou, em 1956, o Prêmio Literário Dōjin Zasshi da Revista Shinchō pelo livro Jōshi Daigakusei - Kyokuairei. Obra esta que foi a estreia da monja no mundo literário, mas não muito tempo depois, em 1958, o livro Kashin seria lançado. 
Kashin, cujo título pode ser traduzido como “O centro da flor” conta a história de Sonoko Furukawa, uma jovem comum à primeira vista, mas insatisfeita com as normas sociais. Sua família arranja seu casamento com o jovem Kiyohiko Amemiya, aspirante a escritor. Sonoko entra então para a família Amemiya e segue sua vida num casamento sem amor, porém suficiente para o que as convenções sociais japonesas reconhecem como um casamento. 
Casamento consumado, Sonoko cuida da casa e, dando a luz a uma criança, a jovem senhora atende o desejo de …

Cinema e literatura - Enquanto o café não esfria

Resenha コーヒーが冷めないうちに/Kōhi ga samenai uchi ni (Cafe Funiculi Funicula) - 2018
Direção: Ayuko Tsukahara 


Por Sthefany Rosa Ferreira dos Santos/UERJ 

Lançado em 2018, o filme “Cafe Funiculi Funicula” (título oficial em inglês) é uma adaptação do romance de Kawaguchi Toshikazu. O título original em japonês, Koohi ga samenai uchi ni, é homônimo do primeiro livro do que até agora parece ser uma trilogia. 
“Cafe Funiculi Funicula” é o primeiro filme da diretora Tsukahara Ayuko. Desde 1998 trabalhando como diretora e produtora, ela coleciona um bom número de séries e mini-séries de TV, sendo a maioria no canal TBS. Em 2018, mesmo ano do lançamento do filme, Tsukahara recebeu o prêmio de melhor diretora da Academia de drama televisivo por seu trabalho na série Unnatural, também da TBS.

O título oficial em inglês, “Cafe Funiculi Funicula”, não deixa nenhuma pista sobre a narrativa além de uma possível relação da trama com café. Comandada pelos primos Tokita Kazu e Tokita Nagare, a Cafeteria Funi…

Cinema e literatura - Semishigure - Chuva de cigarras

Resenha
蝉しぐれ(Semishigure)/The Samurai I loved (2005) Direção: Mitsuo Kurotsuchi



Por Janete Oliveira (Uerj)
O filme é baseado no romance homônimo de Shûhei Fujisawa, uma ficção histórica publicada entre setembro de 1986 e abril de 1987 no Yamagata (província do Japão) Shimbum e depois, no formato livro, pela editora Bunkei Shunjû em 1988. Já foi transformado em trama na TV estatal, NHK (2003) e peça de teatro. O autor nasceu em Yamagata e possui cerca de 642 obras que somam milhões de cópias vendidas e várias adaptadas para filmes, a destacar a trilogia dirigida por Yôji Yamada da qual falaremos mais adiante e Hana no ato (A marca de flor), de 2010, dirigido por Kenji Nakanishi. Existe uma compilação de oito histórias em inglês “The bamboo sword and other samurai tales” que são ambientadas no período Edo (1603-1867), uma era cheia de intrigas, revoltas, rivalidade e traições. Em 1973, Fujisawa recebe a 69ª edição do prêmio Naoki (um dos dois mais importantes prêmios literários do Japão ju…

Resenha - Boku no Hero Academia

Resenha 
BOKU NO HERO ACADEMIA


Por Lucas de Castro Salles
Boku no Hero Academia (僕のヒーローアカデミア ou My Hero Academia) é uma série de mangá escrita e ilustrada por Kōhei Horikoshi. Os capítulos, desde julho de 2014, são publicados na Weekly Shonen Jump (revista semanal de mangás publicada pela editora Shueisha). Até o presente momento foram editados 17 volumes no Japão e, a Editora JBC detém os direitos de publicação da série no Brasil. Em 2015, a obra foi uma das indicadas ao Manga daishō (マンガ大賞), também conhecido como Grande Prêmio de Manga, cerimônia realizada para eleger o melhor mangá do ano. O comitê é composto por oitenta e nove funcionários de livrarias responsáveis pela seção de quadrinhos japoneses, o que confere grande credibilidade ao vencedor.
Antes da estreia da série animada, o mangaka Masashi Kishimoto (escritor do sucesso Naruto) elogiou o trabalho de Kōhei, dizendo acreditar que Boku no Hero Academia ganharia fama no exterior, por sua vez, Horikoshi citou Naruto como sua pr…